Últimos assuntos
» [Mina] jonathan Felipe
Sab Abr 15, 2017 12:38 pm por Staff One

» Venda de Jonathan Felipe
Sab Mar 25, 2017 12:29 pm por Blake S. Beauregard

» [PARCERIA] Camp Half-Blood BR
Dom Fev 26, 2017 1:37 am por Blake S. Beauregard

» [Journey] It's a new dawn, it's a new day, it's a new life {Ewan Faust}
Qua Fev 22, 2017 8:50 pm por Blake S. Beauregard

» Encubadora do Professor Space
Ter Fev 21, 2017 3:10 pm por Blake S. Beauregard

» Adote aqui um pokémon!
Ter Fev 21, 2017 12:36 pm por Tate Peters

» Ticket Island - Compre sua passagem aqui!
Ter Fev 21, 2017 12:30 pm por Tate Peters

» [Mina] Excavation area
Dom Fev 19, 2017 8:11 pm por Blake S. Beauregard

» Laboratório Pokémon
Sex Fev 17, 2017 9:35 pm por Blake S. Beauregard

» [Mina] Blake S. Beauregard
Ter Fev 14, 2017 3:53 pm por Staff One

Parceria Diamond
0 de 5
Créditos
» Skin obtenido de Captain Knows Best creado por Neeve, gracias a los aportes y tutoriales de Hardrock, Glintz y Asistencia Foroactivo.
» Todos os Templates usados pela Staff foram retirados dos sites Lotus Graphics e Cupcake Graphics, todo o crédito a eles.
» Todas as imagens foram tiradas do Google, créditos aos criadores das imagens.
» Demás Créditos del Foro.
Parceria Crystal
0 de 9
Parceria Gold
0 de 33

[Jornada] Blake e Ariel

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Jornada] Blake e Ariel

Mensagem por Blake S. Beauregard em Qua Fev 01, 2017 10:50 pm

THOUSAND FORMS OF FEAR.

Era mais uma tarde com gosto de primavera para o garoto com seus Pokémon. Blake havia derrotado Pheromosa com a ajuda de Snivy e seu recém capturado Azurill, recebendo algumas bonificações diversas do professor, o que também incluía um Pokémon em Cherish Ball: Medicham e seu poder oculto. Nisso, o jovem rumava para seu próximo destino, a ilha dos primeiros desafios, Flowerwood Island.
Para sua surprea, Blake encontrou bem mais do que um Pokémon selvagem para treinar, mas sim um antigo conhecido. Cabelos médio-curtos, enrolados e escuros, pele clara, estatura acima da média e uma aura radiante. Seu nome era Ariel Swift, fazia quanto tempo que não o via? Alguns anos, no mínimo.
— Ariel?
Blake foi ao abraço do antigo amigo, como se o conhecesse muito bem há tempos. Snivy, que estava fora da pokébola, observava aquilo sem entender, nem irmãos eles pareciam, primos talvez? Blake foi apresentar então para seus companheiros, liberando o restante da Pokébola.
— Snivy, Azurill, Medicham, esse é Ariel. Conheço ele desde pequeno. E pelo visto, parece que não está tão baixinho assim, não?
Compartilharam algumas risadas, era bom ter alguém com quem o garoto não precisasse planejar a hora de envenenar a comida. Com algumas ofensas sinceras trocadas, Blake continuou provocando o colega com a intimidade de alguém que ignorou tanto tempo separados.
— Então você é um Performer, correto?
Nesse vaivém de assuntos, colocando tanta coisa em dia, sincronizaram seus pensamentos e confiaram alguns segredos uns aos outros. Retornou os Pokémon, após pequeno afago em Marill e Medicham, colocando-os na Pokébola. Snivy continuava atento, um pouco enciumado do proprietário daquela raposinha de fogo.
Em uma caminhada debaixo de algumas árvores, com pétalas de flores caindo como estrelas cadentes sobre suas cabeças, Blake se surpreendeu ao ser interrompido por um sinal de terra inusitado. Em sua frente uma pequena criatura observava a conversa dos dois, saltando da terra e atirando uma bomba enlameada na cara do treinador, especificamente um Mud-Slap.
Blake nem ficou bravo, tampouco se contorceu de desgosto. Porém, sua face ficara toda suja de terra, gratuitamente. Apertou seu próprio rosto e retirou cada partícula de sujeira que estava em si, como se rasgasse a própria pele em frustração. Ariel podia não ter entendido o motivo para aquele overreacting, exagero, ou seja lá como for. Na sua cabeça obstinada só passava a ideia de capturar aquela toupeira enfezadinha. Sacou a Pokédex e foi buscar saber mais sobre aquele que não tinha medo do perigo.
"Drilbur, o pokémon toupeira. Girando seu corpo, Drilbur consegue cavar em linha reta pelo subsolo em uma velocidade de cinquenta quilômetros por hora".
Assim que entrou em posição de guarda elevada, o inimigo cavucou no solo indo em direção a uma caverna, conforme o perigo se mostrava cada vez mais iminente. Sem pensar duas vezes, o garoto foi atrás do dito cujo sem medir as consequências. Fennekin o seguiu, Snivy ficou encarando Blake tentando entender sua atitude impulsiva, mas não o seguiu de imediato.
— Eu vou pegar esse Drilbur. Desculpe, Ariel.
Assim que entrou em território inexplorado, o cerco se fechou, literalmente. Terremotos vindos do fundo da caverna, provável Earthquake de algum Pokémon mais forte (que Blake não devia se meter) abalaram a estrutura da entrada, causando um deslizamento e fechando a passagem. Eram agora só ele e Fennekin. Snivy não os alcançou a tempo, ficando com Ariel do lado de fora.
— Consegue me ouvir, Ariel e Snivy? Cuidem um do outro. Snivy, obedeça o Ariel por enquanto, por favor, apenas nos ajude a sair daqui.
Com ordens dos dois lados, ambos estavam cooperando para que o contratempo fosse resolvido. O único problema é que Fennekin não seria de grande ajuda nessa missão de retirar escombros, portanto, era preciso esperar que ambos tivessem paciência no resgate. Além disso, Blake esperava capturar aquele que atraiu sua atenção mais cedo, afinal, se quisesse resolver isso mesmo, chamaria Medicham para quebrar as rochas e tudo estaria tranquilo em alguns segundos, mas poderia perder o seu adversário de vista.
— Vamos Fennekin, é uma das suas primeiras lutas, não? Pode ser um bom treinamento para você!
Não havia nem sinal do pequeno, fazia pouca luminosidade para piorar a situação. Um bando daqueles Drilbur podia estar espreitando e eles mal saberiam que estavam sendo observados, para sua sorte, não estavam ao fundo do lugar.
A raposa assentiu com a cabeça, havia farejado e escutado algo com seus sentidos aguçados. O garoto ficou em alerta, algo estava por aí para vos atacar, de longe se sabia que o ambiente era desfavorável para uma captura fácil.
— Fennekin, ilumine-o com Will-o-Wisp!
Por alguns instantes, a caverna ficou mais clara, com uma esfera de calor atravessando o corpo do tipo terra, que fora enfraquecido com uma queimadura e ataque diminuído pela metade, por consequência. Aquilo estava apenas começando, e Drilbur não parecia estar para brincadeira. Mesmo enxergando pouca coisa, Blake viu Fennekin sendo atingida por um Mud-Slap de novo. Que original...
— Mostre que você também não está para brincadeira! Incendeie-o com Fire Spin e o puna com seu fogo!
É lógico que enquanto Pokémon, as habilidades de seu corpo são muito mais desenvolvidas, ainda mais com a visão noturna especial nos membros da extensa família canis/vulpis/felis. Nesse ponto da batalha, por consequência dos danos de suas habilidades, a toupeira já estava com 30% de sua energia reduzida, tentando encaixar um Metal Claw, que devido suas queimaduras, foi mal encaixado.
— Prossiga com Flame Charge! Ele não vai escapar tão fácil.
Batendo suas patinhas no chão, o gracioso feneco desferiu um golpe incendiário para Drilbur, respondendo com um Rapid Spin com dano mínimo. Seu corpo ainda sofria para o Will-o-Wisp e Flame Wheel usados outrora.
— Muito bem, finalize com Flamethrower e mostre o verdadeiro significado de inferno.
Drilbur não conseguiu mostrar muita resistência com seu rápido estado degenerativo. Fechou as garras para usá-las como escudo e absorver parte do dano, mas não foi o suficiente para cair no chão com vinte por cento da energia total.
— Parabéns, Fennekin! Agora é minha vez. — Retirou uma Pokéball comum de sua bolsa, na esperança de mais uma captura.
Um pouco menos tenso do que quando o fez pela primeira vez, com Azurill. Blake apenas apreciou o seu show de vingança. Na verdade, havia se interessado bastante nas peculiaridades desse Pokémon tão ousado e provocativo, mas não podia perder a oportunidade de conseguir mostrar para seu ego que estava certo, mais uma vez.
— Muito obrigado, Fennekin! — Ergueu o Pokémon do companheiro nos seus braços, admirando sua fofura. Logo o colocou no chão, mais uma de suas dores de cabeça o afligiam. Não se lembrava mais de onde tinha vindo, se era norte ou sul, mas graças a seu novo Insight, conseguiu ter a visão de algo que o felicitou muito, além de mostrar o caminho de volta para fora da caverna.
— Vamos lá, acho que eles estão nos esperando! E acho que algo ótimo aconteceu, se eu estou certo.
Conforme corriam, Blake e Fennekin enxergavam a luz do dia ofuscando seus olhos irritados com tanta luminosidade. A passagem tinha sido liberada depois de muito esforço de seus companheiros. Não só isso. Com a ajuda do amigo, Snivy havia evoluído para Servine, tudo para resgatar seu treinador. Sua visão estava correta, era apenas uma pena que não pôde estar presente no momento. Ainda assim, teria a oportunidade de acompanhar sua transformação em Serperior mais em breve1.
— Não acredito, vocês conseguiram fazer isso? — Referiu-se a evolução do tipo grama.
Blake bagunçou o cabelo do companheiro, retribuindo seus esforços com um beijo na testa. No fim, todos saíram ganhando, ainda mais com sua mais nova aquisição.
— Consegui capturar ele, acredita? Seu Fennekin foi muito obediente, também. Mas é bom estar ao lado de Servine novamente.
Após algumas carícias e abraços. Os garotos e seus Pokémon deram uma pausa para admirar a paisagem em uma caminhada. O céu ainda estava muito limpo e com uma umidade muito agradável. Não fosse a brisa suave, não estariam tão relaxados e conectados um ao outro. Finalmente havia encontrado a paz.
Em breve precisava retornar a algum centro Pokémon para restaurar a energia de seu novo amigo, que estava sofrendo de queimaduras dentro da Pokébola. Não era grande problema, visto que enquanto ele estivesse lá, não iria sentir dor nem perder energia. Por ora, apreciava o momento com Ariel ao seu lado.
Em um pequeno laguinho, Pokémon brincavam na água, espirrando o líquido sobre seus corpos e exibindo a beleza real dos tipo aquático. Um em especial havia atraído a atenção do Performer entusiasmado, que se levantou e tirou a poeira da roupa. Azulado e com um toque petulante, o passarinho é bem conhecido na região. A Pokédex de ambos Blake e Ariel apontavam:
"Ducklett, o pokémon pato aquático. Quando atacado, Ducklett usa suas penas para sacolejar a água e fugir sob seu manto delicado."
— Como pode ver, ele provavelmente vai fugir se você for muito direto. Vai precisar de ajuda, docinho? — Blake debochou, diminuindo as habilidades do colega enquanto treinador, brincando, logicamente.
Após algumas belas escapulidas do adversário, Ariel enfim conseguiu capturar o inimigo, após MUITA insistência. O pequeno travesso foi de encontro até sua equipe, já que ela ainda não estava com seis Pokémon. Blake apenas apreciou a captura, se divertindo um pouco com o jeito do enamorado.
"Querido Eu do Futuro,
Eu não cometi a besteira de me apaixonar, não?"
Progresso:


Azurill - Level 10
Posts para Evolução por Friendship: 2/5



Nome: Drilbur
Apelido: -x-
Sexo: Masculino
Habilidade: Mold Breaker
Nature: Jolly


Servine - Evoluído


Fennekin - Treino

-1 Pokéball + Treino Snivy + Evolução para Servine
Notas:

- Esperando Ariel postar
- Treino Fennekin + Captura Drilbur + Evolução Snivy + Captura Ducklett
- Captura Ducklett melhor detalhada no post do Ariel

I'M LIKE A RUBBER BAND UNTIL YOU PULL TOO HARD





Blake Silver Beauregard
YOU NEVER TOLD ME WHAT IT WAS THAT MADE YOU STRONG AND WHAT IT WAS THAT MADE YOU WEAK
Blake S. Beauregard
avatar
Administrador
Points Store :
5665

Mensagens :
79

Data de inscrição :
10/01/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Jornada] Blake e Ariel

Mensagem por Ariel Swift em Sex Fev 10, 2017 7:41 pm



Contra parte (Ariel)

 È uma tarde calma, não avia muito oque fazer, o tédio me consumia nesse momento, estava olhando para fennekin, a raposinha estava inquieta. 
 escuto uma voz suave, não á escutava a anos... me lembrei de uma velha infância (colorida), me virei e olhei aquele gostoso.
 _ Blake !
olho aqueles traços inesquecíveis, um corpo que me fez feliz por muito tempo porem a vida foi dura ao um certo ponto, sem demora blake me abraça  mostrando um sinal de afeto, retribuo aquela cena que começo a me excita, afasto um pouco calmamente, fiquei com medo do meu membro sexual toca-lo então sorrio.
 _ Então seus pokémon são lindos, igualzinho o dono.... Essa é minha fennekin, eu tenho outro adorei no orfanato.
 Fennekin observa snivy, sem entender minha pequena raposa pula em meu ombro, carício sua cabeça levemente. 
 O tempo passa constantemente, sem ter noção das horas.... compartilhando dados pessoais, compartilhando risos, Bleke faz uma pergunta tão simples que até franzi a trsta.
_ Ue ! estou tentando ser um... estou longe de ser 
nossa conversa vai longe... reviro os olho para aquela serpente de grama, avia visto um olha negativo em sua face porem não liguei, continuamos a conversa que á casa segundo ficava mas interessante, interrompendo aquele momento tão inusitado, uma bola de lama tampa a face de blake, olho para os lados e vejo o chão se mexendo, era constrangedor aquele barulho que vinha de baixo da terra, Blake nem ficou bravo, tampouco se contorceu de desgosto. Porém, sua face ficara toda suja de terra, gratuitamente.
 uma toupeira surge, sem saber oque fazer observo blake  consultando a Pokédex. a toupeira se assusta e começa a cavacar novamente o solo  rumo a uma caverna, sem escutar muito bem oque Blake disse, só vejo ele seguindo aquele monstrinho terrestre, o interessante é ver meu pokémon, minha raposinha seguindo aquele treinador que já avia entrado na caverna, começo a correr junto a snivy que estava distraída, Blake já adentrado a caverna, sem sentido um deslize de pedra acontece na entrada da caverna bloqueando a passagem, grito o nome do meu colega varias vezes, me toquei que fennekin não estava no local, olho ao redor para checar e só vejo snivy que observava.
 _ Vocês está bem ? 
 escuto a voz doce de Blake e confirma que está bem e falou que minha fennekin estava lá dentro, comecei a ficar desesperado, tirando algumas pedras, mas não adiantava muito, novamente escuto a voz de Blake dizendo para snivy me obedecer, digo o mesmo a ele me referindo a fannekin. Não sabia oque se passava lá, então penso em algo que poderia ajudar.
_ Snivy, vamos tenta tirar essas pedra do caminho, assim ajudamos seu treinador.
 começamos a colocar o plano em pratica, avia algumas pedras pesadas e bem grandes que quase não conseguamos levantar. o tempo foi passando, minhas mãos estava vermelha e doendo então afastei pra poder descansar, sentado a baixo de uma arvore, estava bem fresco porem olho para ao meio monte de pedra que ainda bloqueava a passagem, a aquela pobre serpente estava cansada e mesmo assim não parava de pegar enormes pessoas e grandes pedras, seu esforço é tão surpreendente que um brilho toma conta do corpo da pobre serpente, era muito forte e intenso, a luz emanava um brilho tão forte que não consegui mas ver adiante. fecho os olho e já vejo outra cena, uma visão maravilhosa e com certeza que blake iria ter orgulho de ter um pokémon tão incrível, o amor e o medo da quele pokémon o fez evoluir. 
 Servine é um Pokémon bípede que é principalmente verde com um lado de baixo creme,com um par de olhos vermelhos estreitos. Tem uma estrutura em forma de V amarelo que começa no peito e se estende por trás dos ombros. Servine tem membros curtos e uma crista pequena protrusão da parte de trás de sua cabeça. Três folhas palmate crescem ao longo de suas costas e cauda. Estas folhas são capazes de realizar a fotossíntese, mas somente enquanto estão limpas. Servine vai para grandes comprimentos para ficar sem sujeira por este motivo. Este Pokémon rápido se esconde em folhagem espessa ou sombras para evitar ataques antes de retaliar.
Aparência física:
 
 Serviiine!!
 a serpente estava gritando com muita urgência, não perco meu tempo é vejo a dex.
 
Pokédex:
    Servine, o Pokémon Cobra, é a forma evoluída de Snivy . Servine chicoteia seus oponentes com vinha, e se esquiva dos ataques escondendo nas sombras da folhagem espessa.
 Serviine!
 novamente gritos angustiantes, Servine salta e gira na cabeça com a cauda para cima no ar. Servine, em seguida, começa a girar seu corpo e um grande verde-claro e verde-escuro com luz verde brilhante folhas dentro dele aparece em torno do final da cauda. Servine gira com ele e lança contra as pedras que bloqueava a passagem do seu treinador, em questão de segundos não avia nem uma pedra, Blake e Fennekin então sai da caverna sorrindo, Fennekin começou a me lamber carinhosamente com sua língua quente, Blake tem um sorriso largo de orelha a orelha, Servine não demorou muito e pulou na frente de seu treinador o cobrindo com suas vinhas deixando cair uma pokébola... 


 _Vejo que capturou a toupeira fedida...


 Ele sorri e acena com a cabeça dizendo sim. Após algumas carícias e abraços. Os garotos e seus Pokémon deram uma pausa para admirar a paisagem em uma caminhada. O céu ainda estava muito limpo e com uma umidade muito agradável. Não fosse a brisa suave, não estariam tão relaxados e conectados um ao outro. Finalmente havia encontrado a paz. 
   Em breve precisava retornar a algum centro Pokémon para restaurar a energia de seu novo amigo, que estava sofrendo de queimaduras dentro da Pokébola. 
 Em um pequeno laguinho, Pokémon brincavam na água, espirrando o líquido sobre seus corpos e exibindo a beleza real dos tipo aquático. Um em especial havia atraído a atenção minha, levantei e tirei a poeira da roupa. Azulado e com um toque petulante, o passarinho é bem conhecido na região. A Pokédex de ambos apontavam: "Ducklett, o pokémon pato aquático. Quando atacado, Ducklett usa suas penas para sacolejar a água e fugir sob seu manto delicado."
 Blake então falou algumas besteiras, não liguei e então pego a pokébola de um pokemon especial, deixo Blake descansar e sigo vagarosamente até a beira do lago.
_Saia  Mareanie, mareanie vá por baixo da água e agarre aquele patinho pra mim. 
 Mare..nie!
 a Estrela  então rasteja lentamento no fundo do lago, esticando seus tentáculos apanhando a presa, em seguida injeta veneno no corpo de ducklett, imobilizado mareanie trás o pobre patinho envenenado. 
 _ Mareanie use Spike Cannon. 
 
 Os tentáculos de Mareanie são levantados até que eles formam um anel em torno de sua cabeça e então ele gira ao redor. Enquanto gira, os pontos em seus tentacles brilham o branco, disparando dardos brancos deles em Duckett, porem o patinho grita pois o veneno estava agindo, Duckett usa Water Gun em mareanie calsando poucos danos. 
 
 _Mareanie use Bite 2x.

#Em Construção...
   
NOTA -  NOTAS VÃO AQUI.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS

Ariel Swift
avatar
Performer
Points Store :
707

Mensagens :
72

Data de inscrição :
13/12/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum